header top bar

section content

“Há uma confusão entre carinho e interesse sexual”, diz Nuno Cobra

Ao ser levado pela PF, ex-preparador de Senna nega acusações de violação

Por Priscila Belmont

12/09/2017 às 09h42

© Reprodução/Twitter

Preso por violação sexual após duas denúncias, Nuno Cobra lamentou a polêmica a caminho do Centro de Custódia da Polícia Federal, onde passou a noite da última segunda-feira (11).” É triste pensar que a sociedade me acha um perigo”, afirmou o ex-preparador físico de Ayrton Senna.

No primeiro caso, o homem de 79 anos havia sido condenado por violação sexual durante um voo entre Curitiba e São Paulo. Na ocasião, Cobra teria assediado uma passageira de 21 anos, tocando os seus seios e pernas diversas vezes. Ainda teria dito “que o formato do corpo da vítima lhe despertava pontos energéticos que não sentia há muito tempo”.

Após a história ser publicada pela repórter Gabriela Moreira (ESPN Brasil), uma jornalista da Jovem Pan resolveu denunciar o preparador por episódio semelhante, que teria ocorrido nos estúdios da rádio, no último dia 24 de Agosto.

Segundo o relato da vítima, cujo processo ocorre em segredo de justiça, o acusado teria apertado suas nádegas e esfregado o órgão sexual nela, afirmando que os homens possuem “energias sexuais” e que “as mulheres deveriam compreender”. Esta segunda denúncia provocou a prisão preventiva do preparador físico, proferida pela juíza Raecler Baldresca.

“Fui convidado para participar do programa deles, estava um clima ótimo. Conversei, brinquei, disse que o Ayrton não pilotava nada, que o bom era o Rubinho (Barrichello), estávamos todos descontraídos. Na hora de ir embora, fiz o que sempre faço. Dei abraços longos em todos. Beijei os homens, como costumo fazer, é o meu jeito. Nesse mundo frio, as pessoas têm medo de se tocar, eu nunca tive. Há uma confusão enorme entre carinho e interesse sexual”, disse Cobra, em entrevista a GQ por telefone.

Na primeira denúncia, a juíza havia condenado Nuno Cobra a três anos e nove meses de prisão em regime inicial aberto, substituindo a pena para prestação de serviços à comunidade e à prestação pecuniária (pagamento mensal de um salário mínimo a entidade pública ou privada). Com a reincidência no crime, o pedido de prisão de Nuno Cobra foi feito pelo Ministério Público Federal no último dia 5, “sob fundamento da garantia da ordem pública”.

Notícias ao Minuto

NO CALDEIRÃO POLÍTICO NA TV

Advogado fala da profissão, discute política e diz que Luciano Cartaxo é favorito nas eleições de 2018

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa Em Continência ao Senhor Jesus com o Ministério de Louvor: Fonte de água da vida

SAÚDE MENTAL

VÍDEO: “Psicologia no Ar” reestreia na TV debatendo as dúvidas e estereótipos que os psicólogos carregam

ENTREVISTA

VÍDEO: Com demonstrações ao vivo, fisioterapeuta cajazeirense explica como funciona a Quiropraxia