header top bar

section content

Bombonera vazia: como o Boca se acostumou a jogar sem torcida nos últimos anos

Time está acostumado com pressão da torcida, mas 'novo normal' não permite adeptos em La Bombonera

Por Cult Edge

30/09/2020 às 11h56 • atualizado em 30/09/2020 às 12h01

Time está acostumado com pressão da torcida (Foto: Cult Edge)

A pandemia do novo coronavírus fez com que campeonatos de futebol e competições esportivas fossem paralisadas em todos os países do mundo. Com a diminuição de casos e o controle das autoridades sanitárias, muitos países encontraram métodos para retomar a prática das competições.

No entanto, países da América do Sul, como Brasil e Argentina, tem jogado sem a presença do público nos estádios. Os clubes têm respeitado as decisões sanitárias e evitado gerar aglomerações durante as partidas. Conseguir a distância em uma arquibancada não é algo fácil quando se está assistindo futebol.

Por isso, um dos estádios mais famosos do mundo, sobretudo pela maneira como a torcida pode influenciar no jogo, a La Bombonera está completamente silenciosa nesse retorno do futebol argentino. E quem mais tem sentido falta da força que vem das arquibancadas são os jogadores do clube, um dos maiores do planeta.

Estar na Argentina e não encontrar uma centenas de torcedores do Boca é algo raro. É como estar no Brasil e não encontrar aqui torcedores de Flamengo e Corinthians, que possuem as maiores torcidas do países. Esses clubes são conhecidos por levarem milhares de torcedores aos estádios todas as vezes que entram em campo.

Mas o novo normal instituído pela pandemia faz com que os estádios fiquem vazios. “Com toda aquela mística em si, mas especialmente em torno das noites da Copa Libertadores que o Boca, tudo estará no imaginário”, diz o texto Ramiro Scandolo, no jornal Olé, o maior jornal esportivo da Argentina.

O time enfrentou o Libertad, do Paraguai, pela Libertadores com os portões vazios. “É, sem dúvida, um alívio”, disse Rubén Di Tore, presidente do clube paraguaio. “As vezes que tivemos que jogar lá, os torcedores do Boca são surpreendentes. As arquibancadas tremem. Eu estava no vestiário e as arquibancadas tremiam na minha cabeça. Os jogadores do Boca ganham muito psicologicamente com esse apoio”, disse o dirigente.

Apesar de parecer novidade, o Boca já jogou sem torcida em outras oportunidades. A última vez aconteceu em 2016, diante do Racing. Na ocasião, o clube havia sido punido por utilizar gás de spray de pimenta contra torcedores rivais no campeonato nacional.

Em 2014, o Boca teve que jogar sem público contra o Belgrano pelo campeonato argentino, depois de ter sido punido porque a torcida interrompeu uma partida contra o Gimnasia com fumaças e gás de pimenta.

E em 2013, também devido a incidentes e “excessivas comemorações” em um superclássico, o Comitê de Segurança o sancionou o clube e o Boca teve que jogar em um estádio vazio em uma partida contra o Colón.

DECISÃO

VÍDEO: Justiça Eleitoral indefere todos os registros de candidaturas do Cidadania em Nova Olinda

SABATINA

VÍDEO: Candidato de Ipaumirim-CE promete melhoraria na limpeza pública e novo aterro sanitário

BATALHA

VÍDEO: Vigilante cearense relata momentos traumáticos quando pegou Covid-19 e faz alerta à população

RECURSO

VÍDEO: TRE mantém indeferimento, mas prefeito de Cachoeira dos Índios sustenta candidatura

Recomendado pelo Google:
error: Alerta: Conteudo Protegido !!