header top bar

section content

Presidente do Nacional de Patos promete ir à Justiça tentar anular o Paraibano 2018

Alisson Nunes garante que o Naça vai em busca de impugnar a competição em 2018, pedindo também a perda do título do Botafogo-PB e a readequação das vagas para as competições de 2019

Por Globo Esporte PB

16/05/2018 às 09h12

Presidente do Nacional de Patos, Alisson Nunes avisa que vai acionar a Justiça pelos direitos do Nacional de Patos no Paraibano de 2018 (Foto: Reprodução / TV Paraíba)

Logo após a implosão das polêmicas sobre compra de resultados no futebol paraibano, o presidente do Nacional de Patos, Alisson Nunes, garantiu que vai à Justiça tentar a impugnação da edição do estadual deste ano, a anulação do título do Botafogo-PB e a readequação das vagas destinadas à Paraíba na Copa do Nordeste, na Copa do Brasil e na Série D de 2019. Vale lembrar que, na competição, o Canário do Sertão teve que disputar o quadrangular contra o rebaixamento, e terminou na sétima colocação geral.

– É inevitável ficar longe dessa discussão. Principalmente porque tem muitos torcedores pedindo para que tomemos providências. Todo mundo viu que a classificação (do Botafogo-PB e do Sousa) estava encomendada e tudo o que os dirigentes fizeram para evitar a nossa. O CSP podia estar andando em campo que nós não iríamos ganhar. Ficou tudo muito claro e não existe margem para interpretações, só para certezas – afirmou Alisson Nunes.

O jogo a que o presidente do Naça se refere é o que o time fez contra o CSP no dia 25 de março, no José Cavalcanti, em Patos, pela penúltima rodada da primeira fase do Paraibano. Na ocasião, o Alviverde patoense teve um gol legal anulado quando a partida ainda estava empatada por 0 a 0. E, ao fim do jogo, o Tigre de João Pessoa venceu por 2 a 0, atrapalhando os planos do Canário de avançar para a segunda fase da competição.

Essa partida seria uma das várias influenciadas diretamente por um esquema de corrupção no futebol paraibano, que já vem sendo investigado há cerca de sete meses pela Polícia Civil e pelo Ministério Público. Segundo a Polícia Civil, o o vice-presidente de futebol do Botafogo-PB, Breno Morais, negociou a vitória do CSP com o então presidente da Comissão de Arbitragem de Futebol da Paraíba (Ceaf-PB) , José Renato Soares. O acordo pedia que o árbitro João Bosco Sátiro fosse escalado para a entre o Nacional de Patos e o Tigre e para que a sua atuação prejudicasse o clube sertanejo. E assim foi feito. O objetivo do dirigente era conseguir uma melhor posição na classificação para a fase seguinte, já que o Belo brigava diretamente com o Canário no Grupo A.

Trecho de um dos relatórios da Polícia Civil mostra diálogo entre Breno Morais e Jose Renato, no qual o dirigente do Botafogo-PB pede que João Bosco Sátiro apite a partida entre Nacional de Patos e CSP (Foto: Divulgação / Polícia Federal)

O episódio ocorreu há mais de dois meses. E, mesmo conseguindo superar o Serrano-PB na última rodada, o Nacional de Patos via a sua classificação para a repescagem do Campeonato Paraibano de 2018 se esvair. Dono de uma das melhores campanhas da competição, o Canário do Sertão fechou a primeira fase com 19 pontos – cinco a mais do que o Treze, líder do Grupo B, por exemplo – e ainda assim precisou participar do quadrangular da morte para evitar o rebaixamento e assegurar a vaga no estadual de 2019.

Para Alisson, o Nacional foi prejudicado para além da não classificação. Isso porque o clube precisou estender a estadia de jogadores e pagar pelos dias trabalhados e deixou de ganhar a renda que viria a ser conquistada na fase de mata-mata, na qual provavelmente enfrentaria o Belo.

– Nós tivemos danos materiais. Danos com a renda do jogo da decisão nas quartas que viria para nós e, provavelmente, seria mais de 100 mil reais. E também o pagamento pelos dias trabalhados dos jogadores durante a fase do quadrangular, que também nos custou caro. Em média, o Nacional teve mais de 200 mil reais de prejuízo – avaliou o mandatário.

O presidente, que também é advogado, prometeu que vai buscar a Justiça para reaver os direitos que foram tomados do clube. O Nacional de Patos estrela um novo capítulo na polêmica do Campeonato Paraibano que pode vir a mudar os rumos dos clubes envolvidos no esquema e com vagas asseguradas em competições regionais e nacionais de 2019.

Fonte: https://globoesporte.globo.com/pb/futebol/campeonato-paraibano/noticia/presidente-do-nacional-de-patos-promete-ir-a-justica-tentar-anular-o-paraibano-2018.ghtml

TOTALMENTE RENOVADO

VÍDEO: Com mais elegância e tecnologia, novo carro da Wolkswagen é lançado com festa em Cajazeiras

ENTREVISTA

VÍDEO: João Azevêdo garante que tem planos para fortalecer produção de leite e área da saúde em Pombal

ALÍVIO

VÍDEO: Para vice-presidente do SINDIÁGUA, eleição de João Azevêdo afasta risco de privatização da Cagepa

FASE DE 'ÓCIO'

VÍDEO: Aposentado, jornalista da PB cita ex-colegas da imprensa que ele admira e diz se pretende voltar