header top bar

string(16) "diario-esportivo"

section content

VIXE: Para Aldeone, falta de apoio a Arlan Rodrigues na FPF foi covardia e Cajazeiras está “ensinando a Paraíba a trair”

Presidente do Sousa considera um ato de covardia dos cajazeirenses não apoiar a chapa de Arlan Rodrigues na eleição da Federação Paraibana de Futebol

Por Jocivan Pinheiro

22/10/2018 às 18h08 • atualizado em 22/10/2018 às 18h18

O vereador e presidente do Sousa Esporte Clube, Aldeone Abrantes, saiu em defesa do empresário e ex-presidente do Conselho Deliberativo do Atlético de Cajazeiras, Arlan Rodrigues, que foi candidato a vice-presidente da Federação Paraibana de Futebol (FPF), mas sua chapa encabeçada pelo advogado Eduardo Araújo perdeu a eleição para a chapa da auditora do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), Michelle Ramalho, que com a vitória se tornou a única mulher no Brasil presidindo uma federação de futebol.

Arlan se sentiu traído pelo presidente da Liga Cajazeirense de Futebol, Geraldo Fabrício da Silva, conhecido como Nêgo Dias, que não apoiou sua chapa, e sim a da adversária. Por outro lado, Nêgo Dias acusa Arlan Rodrigues de ter recorrido ao prefeito de Cajazeiras, José Aldemir, para que este o pressionasse a votar na chapa do cajazeirense, já que Nêgo tem vínculo com a prefeitura.

Ao opinar sobre essa polêmica toda, Aldeone Abrantes afirmou que não apoiar a chapa de Arlan Rodrigues foi um gesto de covardia de Nêgo Dias.

“Covardia grande. Eu vivi o drama lá. Correndo atrás de sertanejos, pessoas de Cajazeiras que Arlan deu tudo. Arlan é uma pessoa que tem um amor pelo Atlético muito forte. Eu vejo Gutemberg Cardoso [jornalista cajazeirense] e Arlan como os dois pacificadores do Atlético. Quando o Atlético está em situação difícil, eles vêm a Cajazeiras e organizam”, falou o presidente do Sousa.

VER MAISMichelle Ramalho vence eleição e Paraíba volta a ter uma mulher no comando do futebol

Empresário Arlan Rodrigues, ex-presidente do Conselho Deliberativo do Atlético de Cajazeiras

Aldeone Abrantes comparou a relação dos torcedores de Cajazeiras e Sousa com os respectivos clubes de futebol de suas cidades e afirmou que antes os cajazeirenses eram mais unidos para defender os interesses do Trovão Azul do Sertão. Para ele, essa votação de cajazeirenses contra a chapa que tinha um conterrâneo “é simbólica em termos de comportamento social de Cajazeiras”, mostrando que agora Cajazeiras está “ensinando a Paraíba a trair”.

“De primeiro a gente tinha uma inveja danada de Cajazeiras. As pessoas brigavam, mas quando era por Cajazeiras, se uniam. Quando foi agora, Sousa apoiou Cajazeiras e Cajazeiras derrotou Cajazeiras. Mudou a cultura, mudou o povo, mudou o pensamento? Essa votação da federação foi muito simbólica em termos de comportamento social da cidade de Cajazeiras. Isso vai muito além de uma simples eleição de presidente de federação. Cajazeiras ensinou a Paraíba a ler e dessa vez está ensinando a Paraíba a trair”.

Na Justiça de novo?

Arlan Rodrigues teria confirmado, na quinta-feira (18), ao portal de notícias Resenha Politika, que a sua chapa irá entrar na Justiça pedindo a anulação da eleição por diversas irregularidades. A chapa já estaria colhendo documentos que comprovam ilicitudes no processo para serem entregues ao Ministério Público Estadual.

DIÁRIO ESPORTIVO

VÍDEO

Músico dá show no Acústico Diário e anuncia novo CD de trabalho; ele contou sobre o início da carreira

57 ANOS

VÍDEO: Prefeito prepara obras para serem entregues no dia da cidade em Santa Helena e convida população

MAIS UMA ESPECIALIDADE

VÍDEO: Clínica de Cajazeiras conta agora com médico especialista em doenças do intestino, reto e ânus

EPISÓDIO 14

VÍDEO: Coisas de Cajazeiras mostra trajetória do ex-prefeito Chico Rolim e fala de segurança no trabalho